sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Escrevi-te


Apareceste na bruma da noite e a minha cegueira não conseguiu definir-te. Seduziste-me e quis interpretar-te, descortinar-te em certezas e tomar-te para mim.
Então escrevi-te. Escrevi-te no vento, em bolas de sabão, frágeis e transparentes, em modos de te captar a essência e o coração.
Escrevi-te na areia, na insegurança do desconhecido. Deixei o mar molhar o teu sorriso e refrescar a minha mente. Mas hesitei e esborratei-te diversas vezes, enchi-te de pontos de interrogação e reticências, querendo decifrar-te.
Escrevi-te em pergaminho, e com carvão negro desenhei o teu corpo e o teu coração. Conjuguei-os, sublinhei-te, e vi que eras o que sempre tinha idealizado para mim.
Com tinta passei-te a limpo, substituí as interrogações e reticências por vírgulas e ponto-e-vírgulas e gravei-te em rocha fértil.

Escrevo-te ainda, no coração. A tinta permanente, indelével e profunda, com altos e baixos e em negrito. Numa escrita cuidada e com muito amor, por vezes com gatafunhos mas nunca com um ponto final.


@Peregrina

15 comentários:

Fa menor disse...

Que bonito!
Que o mais belo da vida, mesmo que, algumas vezes, rasurado e esborratado, nunca seja escrito com ponto final.

Beijinhos

EDUARDO POISL disse...

Ninguém tem culpa
Daquilo que não fomos
Não ouve erros

Nem cálculos falhados

Sobre a estipe de papel;
Apenas não somos os calculistas
Porem os calculados

Não somos os desenhistas
Mas os desenhados
E muito menos escrevemos versos
E sim somos escritos

Ninguém é culpado de nada
Neste estranhar constante
Ao longe uma chuva fina
Molha aquilo que não fomos...

Autor: Desconhecido
Um lindo final de semana com todo carinho para você.
Abraços

gisela disse...

o " sempre " importante é não haver pontos finais!

Ninja! disse...

Escreves bem, gosto sempre de vir ler. :D

David Marinho disse...

Escreve, escreve, escreve, e que faça sempre sentido a tua escrita. Apesar dos meus dias, fico mesmo feliz por ti.

Beijinho sarinha

Violeta disse...

como este texto fala tanto da vida... tanto que escondem essas palavras..esses pontos e vinrgulas... mesmo com reticencias... mágico.. como vejo a vida assim sem um ponto final mas sempre com «dois pontos» sinal que há sempre algo a dizer-se mais..

Amei..

beijo solto

elvira carvalho disse...

Amiga, a festa hoje é no Sexta. Passe por lá e junte-se a nós.
Um abraço e fico à espera.

*flor* disse...

Pode-se sempre usar as reticencias e esperar que a "história" continue.

=)

(soube-me bem ler-te)

beijinho*

Sun disse...

:)
Minha querida, passei para deixar um beijinho.
Desculpa, mas não ando propriamente em condições de comentar o que quer que seja.


um beijo

Gemini disse...

Olá Peregrina.

Já estou há uns tempos na tua caixinha (de seguidores). Pelo que escreves!

Por isso tive o prazer de partilhar contigo um mimo que me foi também oferecido.

Aparece por lá.

Um beijinho.

Flavio Ferrari disse...

Nunca com ponto final ... adorei !

Martina S' disse...

Tens um selinho no meu blog para ti :)

Mafii disse...

escrevo-te para sempre. apesar de ser muito tempo.#
gstei tanto.

Vou seguir o blog! =)*

freefun0616 disse...

酒店經紀人, 菲梵酒店經紀, 酒店經紀, 禮服酒店上班, 酒店小姐兼職, 便服酒店經紀, 酒店打工經紀, 制服酒店工作, 專業酒店經紀, 合法酒店經紀, 酒店暑假打工, 酒店寒假打工, 酒店經紀人, 菲梵酒店經紀, 酒店經紀, 禮服酒店上班, 酒店經紀人, 菲梵酒店經紀, 酒店經紀, 禮服酒店上班, 酒店小姐兼職, 便服酒店工作, 酒店打工經紀, 制服酒店經紀, 專業酒店經紀, 合法酒店經紀, 酒店暑假打工, 酒店寒假打工, 酒店經紀人, 菲梵酒店經紀, 酒店經紀, 禮服酒店上班, 酒店小姐兼職, 便服酒店工作, 酒店打工經紀, 制服酒店經紀, 酒店經紀, 菲 梵,酒店,

maria semanovschi disse...

Amei esse teu escrito! Bjs